Nº85 DEZEMBRO 2017

Laterognatia mandibular: diagnóstico diferencial

  • Rute Sofia Ferreira
  • 24 de Ene, 2018

Rute Sofia Ferreira

A laterognatia mandibular, também denominada por desvio mandibular lateral ou assimetria mandibular, é uma das malformações faciais mais evidentes afetando o terço inferior da face e podendo ser acompanhada de outras deformidades dentofaciais. Clinicamente caracteriza-se por: desvio do mento, assimetria facial, discrepância entre as linhas médias dentárias e faciais, podendo ser acompanhada de mordida cruzada posterior, alterações da inclinação do plano oclusal, alterações do padrão de mastigação e alterações da articulação temporomandibular1,2. Consoante a sua etiologia, Gregoret1 divide a laterognatia em dois tipos: laterognatia funcional (LF) e laterognatia esquelética (LE).

Severt et al.3, em relação a uma amostra de pacientes com assimetria facial, encontraram uma prevalência de desvio da mandíbula de 34%, sendo mais frequente em indivíduos de classe I, classe III e padrão de crescimento facial vertical.
Thiesen et al.4, através da análise imagiológica por tomografia computorizada de feixe cónico (CBCT) de 952 indivíduos entre os 18 e os 75 anos, encontraram uma prevalência de 17,4% de pacientes com desvio mandibular, sendo este estatisticamente mais prevalente em pacientes com classe III esquelética.

> AVANCE DEL ARTÍCULO. Para poder descargártelo completo en PDF pulsa aquí.

Si quieres compartir...