Inês Meireles Silva, coordenadora do projeto “Saúde a sorrir na Guiné-Bissau” da organização não governamental Mundo A Sorrir.

"Pretendemos contribuir de forma marcante para a melhoria da saúde e da qualidade de vida da população guineense"

  • 24 de Ene, 2018

A sensibilização e educação para a saúde são fatores essenciais para que as crianças cresçam saudáveis e informadas e tornem as suas comunidades locais, de hoje e do futuro, lugares mais seguros. A Mundo A Sorrir surge assim na minha vida em 2013, quando transformei essa preocupação em ação e comecei a participar em atividades de sensibilização com crianças.

Em setembro de 2014, tive o privilégio de participar num projeto internacional em São Tomé e Príncipe. Sair do conforto do lar para enfrentar um mundo tão diferente como aquele foi uma experiência única que me modificou definitivamente. Apercebi-me que as crianças abrangidas pelo projeto em missões anteriores tinham en­tendido e aplicado aquilo que lhes foi transmitido, o que me deixou com uma sensação de profunda satisfação e otimismo em relação ao futuro. Voltei de São Tomé e Príncipe com a sensação de que tinha de lá voltar, coisa que fiz em 2015.

Em 2016, fui convidada a integrar a equipa de coordenação do projeto “Saúde a sorrir na Guiné-Bissau”, com a missão de gerir a sua nova etapa: a construção e direção de uma clínica médica social em Bissau.
A ação da Mundo A Sorrir na Guiné-Bissau existe desde 2005 e surgiu na expetativa de preencher as lacunas da saúde pública e oral no país. O projeto tem neste momento três vertentes: a promoção e educação para a saúde e estilos de vida saudável, atividade que tem como população-alvo os alunos do primeiro ciclo do ensino básico, os respetivos professores e encarregados de educação, grávidas e jovens mães; a assistência e prestação de cuidados de saúde às crianças e adultos rastreados no programa preventivo, através da nossa unidade móvel de prestação de cuidados dentários e a educação e capacitação de profissionais de saúde nacionais, área pela qual fiquei, entretanto, também responsável. Nesta vertente, são realizadas pa­lestras, seminários e cursos sobre competências técnicas e estímulos formativos de ca­­pacitação nas áreas de saúde oral e geral aos alunos de medicina e enfermagem do Instituto Nacional de Saúde Pú­­­blica e do Instituto Piaget. Pretende-se formar técnicos de saúde comunitária no sentido da futura apropriação local do nosso projeto.

Neste ano de 2017, iniciámos o processo de construção da clínica em Bissau, que funcionará como unidade central e base de toda a ação da Mundo A Sorrir. Após 12 anos de trabalho assistencial na Guiné-Bissau, sentimos a ne­cessidade de construir esta clínica médica, que nos permitirá a realização de tratamentos de qualidade, colmatando falhas que existem no país. De uma maneira geral, o acesso aos cuidados de saúde são escassos e apenas acessíveis a um reduzido número da população, sendo que os cuidados de saúde oral são praticamente inexistentes. Nesta clínica, além do gabinete médico-dentário, iremos construir um pequeno centro materno-infantil onde se prestarão cuidados de saúde primários.

Com a criação de uma clínica médica fora de Portugal, pretendemos contribuir de forma marcante para a melhoria da saúde e da qualidade de vida da população guineense. A saúde oral em regiões socioeconomicamente vulneráveis tem de ser cuidada e prevenida por organizações como a Mundo A Sorrir!
 

Si quieres compartir...