Nº78 ABRIL 2017

EDITORIAL Investir na saúde oral

  • 04 de Abr, 2017

Os representantes das oito ordens profissionais do setor da saúde estiveram recentemente reunidos, num encontro na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, para abordar um assunto que assume particular interesse ge­ral/nacional: o futuro do financiamento da saúde em Portugal.

O oportuno debate não podia ter sido mais alargado já que, para além dos dirigentes das ordens profissionais (médicos dentistas, médicos, enfermeiros, médicos veterinários, biólogos, farmacêuticos, nutricionistas e psicólogos), marcaram presença neste evento o ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes (na sessão de abertura), e o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa (no encerramento).

No que respeita à Medicina Dentária, a Ordem dos Médicos Dentistas (OMD) aproveitou a ocasião para reiterar as suas propostas em várias frentes, a começar pela ideia de que o sistema de saúde português vai para além do Serviço Nacional de Saúde (SNS). Por outro lado, os representantes da classe sublinharam que a população tem necessidades que não comportam visões redutoras do Estado. E acentuaram outro fator que consideram fundamental: a complementaridade com o setor privado e o social nos termos da Constituição e da Lei de Bases da Saúde.

Também recordaram, entre outros aspetos, a necessidade de assegurar a acessibilidade da população à Medicina Dentária e de proceder a um ajustamento da formação e qualificação dos médicos dentistas.

É certo que, nos anos mais recentes, temos vindo a assistir a uma evolução positiva nos velhos (e novos) desígnios da Medicina Dentária, e até já se antecipa para breve um maior peso da classe na balança do investimento público na área da saúde, através do recém anunciado alargamento nacional do Projeto Piloto de Integração de Médicos Dentistas nos Cuidados de Saúde Primários do SNS.

O concurso relativo à contratação de novos médicos dentistas foi, de resto, confirmado pelo próprio secretário de Estado Adjunto da Saúde, Fernando Araújo, durante as recentes comemorações do Dia Mundial da Saúde Oral (20 de março).

Em todo o caso, nunca é demais reforçar junto do poder político – como o fez a OMD nesta mediática cimeira dedicada ao financiamento da saúde – a mensagem que é também um princípio básico desta profissão: a necessidade de proporcionar a toda a população o acesso aos serviços de Medicina Dentária, entre outras medidas.

Si quieres compartir...