Nº83 - Maxillaris Outubro 2017

FDI aprova uma declaração política sobre publicidade em Medicina Dentária

  • Em primeiro plano, a delegação portuguesa que participou na Assembleia Geral da FDI, em Madrid.
  • 12 de Dic, 2017

A Assembleia Geral da Federação Dentária Internacional (FDI) votou seis novas propostas e revi­sões a três declarações, durante o congresso mundial que se realizou em Madrid.

No dia 31 de agosto decorreu a cimeira da FDI, em que a Ordem dos Médicos Dentistas esteve representada pelo bastonário, Orlando Monteiro da Silva; pelo vice-presidente do Conselho Diretivo, Pedro Pires; pelo representante da Região Autónoma da Madeira no Conselho Diretivo, Gil Fernandes Alves, e pela presidente da Comissão Organizadora do 26o Congresso da OMD, Ana Mano Azul. Em representação da classe portuguesa do setor da Medicina Dentária esteve também o presidente da Sociedade Portuguesa de Estomatologia e Medicina Dentária (SPEMD), Pedro Pires.

Na reunião, as comissões do organismo internacional submeteram a votação novas declarações de políticas, documentos que apresentam a visão da FDI sobre várias matérias relacionadas com a profissão e as políticas de saúde oral. Este ano, a federação adotou seis declarações de políticas: publicidade em Medicina Dentária, saúde oral ao longo da vida, Medicina Dentária CAD-CAM, qualidade em Medicina Dentária e controlo da dor odontogénica.

Três declarações foram submetidas a uma extensa revisão: sustentabilidade em Medicina Dentária, promoção da saúde oral através do fluor, formação contínua em Medicina Dentária e prática da Medicina Dentária e outras entidades.

Princípios básicos da publicidade

Durante o congresso de Madrid, a Assembleia Ge­ral aprovou uma declaração que coloca em evidência tanto os perigos que se correm devido à ausência de uma regulação homogénea como os traços principais que devem ser respeitados numa publicidade adequada.

A FDI estabelece que os princípios básicos das normas sobre publicidade devem “proteger a saúde e o bem-estar dos cidadãos, garantir que as mensagens publicitários se baseiam em dados científicos e que os pacientes estão protegidos da publicidade enganosa, defender a dignidade e integridade da profissão e cumprir es­tritamente o código de ética profissional e a legislação vigente”. Portanto, segundo a FDI, a publicidade em Medicina Dentária deve ser precisa, estar baseada em factos – não en crenças ou opiniões –, representar uma imagem profissional del dentista e da profissão e ser verídica quanto às vantagens e desvantagens do tratamento proposto.
Por outro lado, a publicidade não deve ser falsa, confusa ou fraudulenta. Também não pode tentar persuadir, fazer prospeção nem captação de pa­cientes, comparar ou denegrir outros dentistas nem utilizar termos superlativos ou comparativos que sugiram maior qualidade em relação a serviços, tecnologias ou produtos empregues.

A FDI também aprovou, entre outras diretrizes, uma declaração sobre odontologia CAD-CAM. Neste texto, a FDI apoia a investigação e o desenvolvimento nesta área para melhorar a qualidade do produto final e possibilitar uma diminuição do custo; a colaboração entre fabricantes, académicos e todos os agentes da formação contínua; o desenvolvimento de sistemas abertos e a criação de normas internacionais que garantam a interoperabilidade entre os sistemas CAD-CAM.

Além dos textos anteriores, a FDI aprovou ainda uma declaração sobre formação continuada. Para este organismo, a educação e uma constante atualização representam uma obrigação profissional e ética para os médicos dentistas.
 

Si quieres compartir...