Nº91 JULHO 2018

Nova SPMD reúne profissionais de diferentes áreas em torno da Medicina Dentária digital

  • A partir da esquerda, Luís Fonseca, tesoureiro da SPMD; Duarte Marques, presidente da Mesa da Assembleia Geral; Rui Falacho e Carlos Falcão, presidente e vice-presidente da direção, respetivamente.
  • 23 de Jul, 2018

No passado dia 27 de maio teve lugar, em Coimbra, a primeira Assembleia Geral da Sociedade Portuguesa de Medicina Dentária Digital (SPMD2 ou D2), onde estiveram representados 103 associados fundadores e co-fundadores. Na ocasião, procedeu-se à eleição e tomada de posse dos primeiros órgãos sociais, à definição dos estatutos e à discussão sobre assuntos vários da gestão e futuro da SPMD2.

A nova sociedade científica assume-se como inclusiva e pretende reunir os médicos dentistas, técnicos de prótese dentária e médicos de diferentes especialidades em torno do desenvolvimento da Medicina Dentária digital.

Neste âmbito, tal como foi acentuado durante a Assembleia Geral, a área digital, habitualmente rotulada com o desenho e produção de restaurações por meio de scanners, fresadoras e impressoras, é na realidade muito mais abrangente. Alguns exemplos bem difundidos da área digital são: o registo fotográfico ou vídeo para planeamento e documentação; a utilização de exames complementares de diagnóstico como o recurso a RVG ou CBCT; aplicação de tecnologia ultrassónica em áreas cirúrgicas, reabilitadoras ou endodontia; o recurso a localizadores apicais ou instrumentação mecanizada; execução de técnicas cirúrgicas, protéticas ou endodônticas guiadas; aplicação de diversos meios tecnológicos na ortodontia ou na DTM, entre outros exemplos.

No seu discurso, o médico dentista Rui Falacho, presidente da SPMD2, afirmou que a medicina e a prótese dentárias digitais “não são, como muitos fazem acreditar, o futuro; são o presente, e um presente já bem difundido”.

Quanto ao âmbito de ação previsto para esta sociedade, Rui Falacho observou que “existiremos para difundir conhecimento e proporcionar formação de qualidade aos nossos associados, fomentar o acesso livre à informação e promover o desenvolvimento tecnológico, bem como a inovação e a investigação científica na área digital da medicina e prótese dentárias. Estabeleceremos pontes com outras realidades e não só absorveremos o que de melhor têm, como também transmitiremos todo o potencial que existe no nosso país nesta área. O mais importante é não termos um plano fechado e imutável. Queremos uma filosofia fluida onde possamos adaptar-nos às especificidades de cada área e à realidade de cada associado”.

Ainda durante a reunião, à qual assistiu uma representação da Sociedade Espanhola de Odontologia Computorizada, congénere da SPMD2, assinou-se a “Declaração de Coimbra” na qual ambas estabelecem um pacto de cooperação.

Corpos sociais

Para além de Rui Falacho (presidente), a direção da nova sociedade científica é composta por Carlos Falcão (vice-presidente); André Chen (secretário); Luís Fonseca (tesoureiro); José Francisco Basto, João Fernandes e Joana Marques (vogais); João Pato e João Mouzinho (suplentes). Os membros da Mesa da Assembleia Geral são: Duarte Marques (presidente); Paulo Júlio Almeida (primeiro secretário); Hélder Oliveira (segundo secretário) e Raphaël Gameiro (suplente). O Conselho Fiscal é presidido por Salomão Rocha e inclui ainda João Brochado (vice-presidente); Pedro Miguel Brito (vogal) e Tomás Amorim (suplente). A Comissão Científica será nomeada na primeira reunião da direção, sendo que o presidente e ambos os secretários são já conhecidos: Pedro Nicolau e João Carlos Ramos e João Carlos Roque, respetivamente.
 

Se você quiser compartilhar ...